Testemunhos

Testemunhos

"Os meus pais explicaram-me que vim aqui para tu me ajudares! Acho que é por causa de andar sempre preocupado e sempre com medo. Tenho medo quando vou dormir de ficar sozinho no quarto, medo de andar pela casa, medo de ir à escola...muitos medos! E não sei porquê!" -  7 anos – Psicoterapia Infantil


"A minha mãe disse que era importante eu falar das minhas coisas, das coisas que me acontecem com alguém, uma espécie de amigo crescido. Diz que nem sempre me pode ajudar. Eu sei que há coisas que não lhe posso contar, tenho medo que fique triste comigo e deixe de gostar de mim, então eu faço as coisas que me chateiam desaparecerem da minha cabeça para não a chatear." -  6 anos – Psicoterapia Infantil


"Eu venho aqui porque os meus pais estão sempre a discutir e eu não percebo porquê. Já não são namorados mas discutem! Depois fico triste, porque às vezes gosto mais de ficar na casa do pai do que na casa da mãe, mas não lhe posso dizer isto a ninguém." -  5 anos – Psicoterapia Infantil


"Eu achei que me fazia bem vir porque os meus pais não percebem as coisas que sinto, querem sempre saber tudo, querem ser os meus melhores amigos e ir aos sítios onde vou e fazer coisas comigo como se tivessem a minha idade. Fui eu que pedi para vir porque sabia que seria o único sítio onde poderia falar mesmo de mim." -  16 anos – Psicoterapia de Adolescentes


"Sou um bocadinho ansiosa, estou sempre preocupada e morro de medo de ter uma crise nas aulas. As crises começaram a acontecer muitas vezes e é mesmo muito dificil de controlar. Eu tento...tento mesmo!! Mas de repente quando percebo já estou a suar e com o coração a bater muito muito rápido e só quero sair dali. E ainda não aconteceu na escola mas...tenho medo que aconteça ali à frente dos colegas". - 15 anos  - Psicoterapia de Adolescentes


"Sinceramente não sei porque é que a minha mãe acha que devo vir aqui. Diz que eu sou muito fechada, que não faço amigos, que não saio e não me interesso pelas coisas que as miúdas da minha idade se interessam. Mas também não sei qual é o problema disso! Gosto das minhas coisas, do meu quarto, do meu cantinho. Eu não chateio ninguém e não preciso dos outros, sobretudo se for para eles andarem a gozar comigo e a dizer mal." – 14 anos – Psicoterapia de Adolescentes


"Quando me vejo ao espelho não encontro nada de bom, sou um monstro, só quero fugir do espelho" – 22 anos – Psicoterapia de Jovens Adultos


"Antes desejava tirar o curso de medicina, ser um bom médico, mas agora que deixei tudo a perder, meti-me nas drogas, já sei que não tenho mais saídas, que mais vale estar quieto, eu não valho nada e os meus pais não acreditam em mim" – 23 anos – Psicoterapia de Jovens Adultos


" Porque insistem em que eu coma? Não posso engordar!! Tenho que manter este peso! Estou obesa!!!" – 19 anos – Psicoterapia de Jovens Adultos – Distúrbios Alimentares


"Não consigo viver mais com esta dor física e precisava de estratégias para poder lidar com elas" – 35 anos – Psicoterapia de Adultos


"Desde que adoeci e que tive medo de morrer, que deixei de me sentir motivada até para as coisas que antigamente gostava de fazer" – 40 anos – Psicoterapia de Adultos


"Estou completamente paralisado na vida, não sirvo para nada, não consigo fazer nada, estou ultrapassado a nível profissional, não consigo sentir prazer com nada" – 34 anos – Psicoterapia de Adultos


"Trago em mim um sentimento de sufoco "são ciúmes" (…) "não consigo controlar" (…) "sou muito obsessiva". Examino o telemóvel do meu namorado de uma ponta a outra, confirmo tudo o que consigo. Não suporto que trabalhe com mulheres… Considero sempre a hipótese de que ele está interessado noutra pessoa." – 29 anos – Psicoterapia de Adultos


"Não consigo estar com ele mas, ao mesmo tempo, estou sempre a contacta-lo para saber onde está, com quem está, tenho medo que volte a gritar comigo, que se zangue comigo e que se vá embora. Passo o dia a limpar, a arrumar, para não pensar e remoer, não suporto que suje a casa, que seja agressivo quando lhe chamo a atenção, então discuto com ele." – 32 anos – Psicoterapia de Adultos


"Procurei ajuda psicológica porque até os meus amigos já me diziam que eu não estava bem. Eu muitas vezes não percebia o que queriam dizer, eu estava como sempre fora... só agora ao fim deste tempo nas sessões tenho percebido que não é normal estar sempre a pensar que a minha mãe pode morrer a qualquer instante, ligar-lhe 5 a 6 vezes por dia.
Eu já não tinha sequer noção do que era a minha vida, a minha vida era a doença da minha mãe. Constato ao fim deste tempo que era eu quem estava mais doente..." – 45 anos – Psicoterapia de Adulto


"Quando há uma situação grave, ainda é a ele que recorro por mais que não queira , não estou a consegui reestruturar a vida sem ele...fazíamos e decidíamos tudo juntos....estou muito desamparada" – 37 anos – Psicoterapia de Adultos


 " Resolvi procurar ajuda porque sinto um vazio enorme...a nível profissional considero-me uma pessoa de sucesso ,aliás, de muito sucesso...mas a nível pessoal, relacional sou um desastre autêntico" – 36 anos – Psicoterapia de Adultos


 " Já me senti assim noutras fases da vida, mas sempre achei que conseguia dar a volta sozinha ... atualmente, sinto que preciso de ajuda...sinto-me a cair, o que é extremamente angustiante" – 45 anos – Psicoterapia de Adultos


"Quando procurei ajuda psicológica achava que ia encontrar ajuda para moderar o meu consumo de álcool. Fiquei realmente chocada quando me foi devolvido que eu não tinha um pequeno problema com o álcool. Eu era alcoólica. Nunca ninguém tinha sido tão frontal comigo. Estive para não continuar. Hoje percebo que foi nesse dia que me comecei a tratar..." – 40 anos – Psicoterapia de Adulto


 " Marquei a consulta de psicologia pois já tentei de tudo. Medicação, psiquiatras, médicos...mas a ansiedade não desaparece, a angústia permanece....acho que tenho de perceber o porquê!" – 68 anos – Psicogerontologia


"Sinto-me muito esquecida, principalmente quando me irrito com alguma coisa, a memória foge-me mais" – 65 anos – Psicogerontologia


"As nossa discussões são muito feias e fortes precisamos de ajuda porque estamos a magoar-nos, usamos questões do passado (fragilidades de cada um) como arma de arremesso para ferir o outro..." – Terapia de Casal


" Já não a reconheço...sempre a criticar e de mau humor, já há muito tempo que não namoramos parecemos dois estranhos... acabou-se a química parece que só ficou o desprezo" – Terapia de Casal